Bóson de Higgs. Como é que Deus entrou na história...

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Partícula elementar surgida logo após o Big Gang, também é conhecida fora dos meios científicos como a Partícula de Deus.

A partícula foi provisoriamente confirmada em 14 de março de 2013, embora já tivesse sido prevista originalmente pelo físico inglês Peter Higgs (daí o nome). Embora ele tivesse previsto a existência, na época não existiam condições tecnológicas para a comprovação da teoria.

Isto só foi possível a partir do funcionamento do Grande Colisor de Hádrons (LHC), que opera desde 10 de setembro de 2008 sob o comando da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, sucessora do CERN (Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire), fundado em 1954. O Grande Colisor é atualmente o maior laboratório de física de partículas do mundo, localizado em Meyrin, próximo a Genebra-Suíça, na região da fronteira com a França, 175 metros abaixo do nível do solo.

O Bóson de Higgs, confirmado pelo Grande Colisor, é uma partícula elementar bosônica, que teria surgido logo após o Big Bang. Ele explica a origem da massa das outras partículas elementares e, por isso, é chamado popularmente de a Partícula de Deus.

Segundo os cientistas, todas as partículas conhecidas e as que ainda estão previstas são divididas entre férmions (com spin correspondente à metade de um número ímpar) e bósons (que são as partículas com o spin inteiro).

O Grande Colisor, que praticamente permitiu a comprovação da existência da partícula, é a maior máquina do mundo, com uma circunferência de 26.659 metros, contendo 9.300 ímãs. Esses ímãs são refrigerados e chegam a temperaturas de -193,2 graus Celsius a -271,3 graus Celsius, quase o zero absoluto. Poderia ser considerado, também, o maior frigorífico do mundo. E também o mais frio.

Quem se impressiona com a velocidade da Fórmula 1, veja qual é a velocidade do Grande Colisor de Hádrons: em sua velocidade máxima, o trilião de protões lançados a 99,93 % da velocidade da luz, dão 11.245 voltas no acelerador por segundo. Ali os feixes de protões registram 600 milhões de colisões por segundo.

Os feixes percorrem uma cavidade tão vazia quanto o espaço interplanetário e a pressão interna é seis vezes inferior à pressão existente na Lua. Portanto, esse seria o espaço mais vazio de todo o Sistema Solar.

Mas, se é um dos lugares mais frios e mais vazios do Universo, o Grande Colisor também é um dos pontos mais quentes da Galáxia. Quando dois feixes de protões colidem, eles geram em um espaço minúsculo nada menos do que temperaturas superiores a 100 mil vezes as temperaturas do centro do Sol.

Aleatórias

Onde começa o Brasil, no norte do país?

Você certamente está pensando que é no Oiapoque, mas não é.

Qual é a rodovia com mais curvas no país?

Talvez umas poucas rodovias brasileiras possam disputar esse título, mas a mais impressionante é a SC-390, que corta a Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina.

Mar Morto, o ponto mais baixo da Terra

Em 2014, o Mar Morto já estava 427 metros abaixo do nível do mar. Esse desnível vem aumentando cerca de um metro por ano.

Galeria de imagens

bicicleta
bicicleta1
celular1960
dengue
galaxias
grandecolisor
marte
neuronios
origemhomem
pesquisa
presal
sol
televisao
ufo
beatles
beatles1
beatles2
inquisicao
muralhachina
napoleao
tonicotinoco
aerogeradores
altamira
aquifero-alter-do-chao
beijomaislongo
bruxas
burqa

Online

Temos 672 visitantes e 30 membros online